26 de junho de 2013

Relato de Carlos Augusto Brum sobre o projeto Autor Presente em Caçapava


"Semana passada, visitei Caçapava do Sul, trabalhando com os alunos das escolas do município, tudo organizado pela prefeitura de Caçapava e pelo Instituto Estadual do Livro. O evento foi realizado pelo programa estadual de incentivo à leitura Autor Presente.
Conversei com uns quantos alunos, falando um pouco sobre minha trajetória, sobre meus livros e, já que deu tempo, ainda contei a história de Cadu e o Chapéu Muito Legal, com ajuda dos alunos que interpretaram os personagens. Na despedida, fiz uns desenhos para cada aluno levar para casa  e eu levei a lembrança de mais uma cidade visitada onde conheci muita gente legal. É muito bom viajar para divulgar o trabalho e conhecer novos leitores, e o passeio fica melhor ainda quando levam a gente pra comer num buffet super bom (ah, aquela torta de legumes...).
Gostaria de agradecer ao IEL, à prefeitura de Caçapava, a todos professores envolvidos e aos funcionários da biblioteca pública da cidade pela organização do evento e por toda ajuda e atenção! E um muito obrigado especial aos alunos por aguentarem quase duas horas de conversa! Espero que todos tenham se divertido tanto quanto eu!"
Carlos Augusto Brum

14 de junho de 2013

Projeto Autor na Paz: Presídio Central recebe visita do escritor Paulo Seben


Foi realizada no último dia 10 mais uma ação do projeto Autor na Paz, uma iniciativa do Instituto Estadual do Livro (IEL). Desta vez, com apoio da Susepe, o projeto levou até o Presídio Central de Porto Alegre o professor e escritor Paulo Seben (ver o relato abaixo).

O escritor distribuiu cerca de 50 livros para os internos da galeria E1, leu poemas, discutiu suas experiências literárias e, após a conversa, respondeu a perguntas dos detentos.


O projeto

O Autor na Paz é, somado aos encontros em escolas e bibliotecas, uma nova frente de ação do projeto Autor Presente, do IEL. Ele prevê a ida de escritores a territórios de paz, presídios, asilos, entre outros locais onde o público tem acesso limitado a esse tipo de atividade cultural. Também pelo projeto Autor na Paz, no mês passado, a Penitenciária Feminina Madre Pelletier recebeu o trio poetas e músicos Os PoETs. Para o próximo mês, o projeto pretende contemplar a Penitenciária Feminina de Guaíba.


Relato do escritor Paulo Seben:


Vivi uma experiência fantástica na tarde de 10 de junho. Pela primeira vez na vida, entrei no Presídio Central de Porto Alegre. Tratava-se do projeto Autor na Paz, iniciativa do Instituto Estadual do Livro com apoio da Susepe. Conversei com 44 detentos da galeria E2, um pessoal que está separado dos barra-pesada porque decidiu cumprir a pena sem usar drogas. É no mínimo inquietante palestrar ladeado por dois brigadianos envergando colete à prova de balas e armados até os dentes, que durante todo o evento ficaram observando atentamente o comportamento do público, mas, depois de uns instantes de tensão inicial, resolvi dar uns passos à frente e conversar mais próximo, eventualmente no meio dos detentos.

A receptividade foi ótima. Não só me trataram com muito respeito, como também me apartearam, contribuíram com as suas próprias experiências de leitura e escrita, aplicaram os poemas que eu li à sua própria experiência, numa atitude franca e leal, difícil de encontrar por aí.

Ficou a vontade (minha e deles) de futuramente ter novos encontros e realizar uma oficina de Escrita Criativa com eles, para que não só leiam e ouçam poemas, e sim criem os seus, usando a Literatura para organizar suas vivências e reconstruir a sua subjetividade, fortemente abalada por uma situação em que perdem a identidade e se tornam invisíveis para a sociedade.


Paulo Seben


Relato de José Paulo Eckert, do IEL:

No dia 10 de junho, às 15 horas e 30 minutos, houve uma atividade do Autor na Paz no Presídio Central em Porto Alegre. O escritor que realizou a atividade foi Paulo Seben e, além de nós, estavam presentes Leandro e Ana (Setor Educacional da Susepe), Luiz Nascimento e o Comandante Marodin (Presídio Central).

Foram desenvolvidas atividades com 44 presidiários dentro do pavilhão E2 em uma pequena sala que dá acesso ao corredor das celas.

Inicialmente, foi uma situação tensa, principalmente por termos de passar por cancelas e pelos corredores do presídio, entrando dentro do ambiente dos detentos e tendo que ficar em meio a uma escolta armada.

Essa tensão inicial se dissipou um pouco após as apresentações. Foi essencial a firmeza e decisão com que Paulo Seben se portou, se colocando próximo aos presos; isso inspirou confiança e um respeito mútuo durante o encontro.

Em sua fala, Seben analisou por diversos ângulos sua experiência como leitor e escritor, ressaltando o quanto estas duas são criadoras de subjetividade e, ao mesmo tempo, exercem um protagonismo objetivo para quem as realiza.

Além disso, também houve leitura de poesias do livro Caderno Globo 33, lançado pelo IEL.

Ao final, houve espaço para perguntas e ocorreu um diálogo mais aberto com os detentos com algumas trocas de experiências. Durante esta troca, e em toda a fala do autor, o encontro foi maravilhoso. 


José Paulo Eckert